Resenha de meu romance “Quase negros”

Há dubiedade em mim. Sento na sala desfeita com baixa luminosidade e sinto o vento que sopra em meu rosto. Por um momento, paro de escrever e ouço o cachorro uivando na rua. O céu da cidade é muito iluminado. Tão bem iluminado e carregado de nuvens que, dentre os tons rosados da poluição, vê-se […] … Continue lendo Resenha de meu romance “Quase negros”

Azuis, quase negros

Meu primeiro romance, Quase Negros, foi o vencedor do Prêmio Nascente, conferido pela Universidade de São Paulo e pela Editora Abril em 1999. Em sua terceira edição, a obra foi completamente revisada e editada, ganhando uma linguagem mais de acordo com meu estilo atual, mas sem perder suas características originais. O enredo gira em torno do … Continue lendo Azuis, quase negros

A felicidade existe?

A felicidade é feminina, masculina ou não tem gênero? Aliás, ela realmente existe ou a palavra felicidade foi criada para se referir a uma ilusão? Foram escritas muitas obras que falam da felicidade: livros de autoajuda, filosofia, política, religião.  No mundo do sucesso a qualquer preço, mais do que refletir a respeito, a busca da … Continue lendo A felicidade existe?

Heloísa e Abelardo

Imagine uma quentíssima história de amor entre um professor maduro e sua aluna de dezessete anos. Até aí tudo bem? Vamos dizer então que o resultado dessa paixão proibida foi o nascimento de um filho, tudo às escondidas. E que o tutor da garota, ao saber da história, mandou capangas castrarem o professor. Parece ficção, … Continue lendo Heloísa e Abelardo

O que, afinal, afeta o movimento?

São Paulo gruda na pele por dentro, não resta dúvida. Sinto seu movimento subcutâneo desde que a deixei após viver suas ruas, bares, esquinas e subterrâneos por trinta anos. Hoje moro no interior, mas a paulicéia desvairada ainda vive em mim. Das coisas que curto, destaco as que emergem do concreto de suas esquinas e … Continue lendo O que, afinal, afeta o movimento?